Identification of Major Authors in Coopetition

Valdir Antonio Vitorino Filho, Eliciane Maria da Silva, João Batista de Camargo Júnior, Silvio Roberto Ignácio Pires

Abstract


This article aims to identify the main perpetrators in coopetition through two approaches: (a) analyze based on bibliometric study of co-citation producing academic articles available on the ISI web of knowledge on the subject coopetition in 65 articles found in publications between 1996 and 2011, (b) identify the most cited authors by Brazilian researchers on the topic coopetition, and yet, the subjects and objects of study used in 26 research publications between 2004 and 2012. The study is characterized as descriptive and quantitative analysis of the data with the aid of software Stikis® 2.0 and Ucinet® 6.0. The results show that (a) international research had in a growing number of publications, (b) there are no researchers nationally and internationally that stand out with the highest number of publications in the area, (c) have been identified as major authors and their their works in coopetition: Hamel, Doz and Prahalad (1989), Nalebuff and Brandenburger (1996); Lado, Boyd and Hanlon (1997) and Bengtsson and Kock (1999 and 2000).

Keywords


Authors; Bibliometrics; Co-citations; Citations; Coopetition

References


Alves, P. V. dos S. (2010) O Estado como uma Tecnologia: uma Visão da Evolução do Estado por Meio da Coopetição e dos Ciclos de Hegemonia e de Tecnologia. Revista do Mestrado em Administração e Desenvolvimento Empresarial, v. 14, n. 3, p. 9-27.

Amato Neto, J. (2000) Redes de cooperação produtiva e clusters regionais: oportunidades para as pequenas e médias empresas. São Paulo: Atlas.

Azevedo, J. R. de; Matos, F. R. N. (2006) Cooperação e competição simultânea em uma rede de negócios: a coopetição na Valexport. In: XII SIMPEP, Bauru-SP.

Bagshaw, M.; Bagshaw, C. (2001) Co-opetition applied to training: a case study. Industrial and Commercial Training, v. 33, n. 5, p. 175-177.

Balestrin, A. Vargas, L. M. (2004) A Dimensão Estratégica das Redes Horizontais de PMEs: Teorização e Evidências. Revistas de Administração Contemporânea. Edição Especial, p. 203.

Barney, J. (1991) Firm resources and sustained competitive advantage. Journal of Management, 17, p. 99-120.

Bengtsson, M.; Kock, S. (1999) Cooperation and competition in relationships between competitors in business networks. The Journal of Business & Industrial Marketing. v. 14, n. 3, p. 178-194.

Bengtsson, M.; Kock, S. (2000) Coopetition in Business Networks – to Cooperate and Compete Simultaneously. Industrial Marketing Management 29, p. 411–426.

Brandenburger, A. M.; Nalebuff, B. J. (jul/ago. 1995) The right game: Use of game theory to shape strategy, Harvard Business Review, p.57-81.

Casarotto Filho, N.; Pires, L. H. (1999) Rede de pequenas e médias empresas e o desenvolvimento regional. São Paulo: Atlas.

Chen, M. (1996) Competitor analysis and interfirm rivalry: toward a theoretical integration. Academy of Management Review, n. 21, p. 100-134.

Collins, J.; Hussey, R. (2005) Pesquisa em Administração. Porto Alegre: Bookman.

Costa, E. A. da; Bottura, C. P.; Boaventura, J. M. G.; Fischann, A. A. (2006) Expansão do Conceito de Co-Opetição e sua Aplicação para Análise dos Jogos Estratégicos na Indústria de PCs. Anais do XXX Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração – ANPAD – Set.

Dagnino, G. B.; Padula, G. (2002) Coopetition Strategy: a new kind of interfirm dynamics for value creation. In: II Annual Conference of Euram on: “Innovative Research Management”. Track: “Coopetition Strategy: Towards a new kind of interfirm dynamics”. Stockholm: may 9-11.

Dyer, J. H.; Singh, H. (1998) The Relational View: Cooperative Strategy and Sources of Interorganizational Competitive Advantage. Academy of Management Review, v.23, n. 4, 660-679.

Gaio, J.; Duclós, L. C.; Amaral, H. G. (2012) Relevância da Estratégia de Coopetição para as IES: O posicionamento do Centro Universitário Católico de Santa Catarina. Revista Gestão Universitária na América Latina, v. 5, n.2, p. 36-57.

Gyawalli, D. R; Madhavan, R. (2001) Cooperative Networks and Competitive Dynamics: a structural embeddedness perspective. Academy of Management Review, v.26, n. 3, p.431-445.

Gnyawali, D. R.; Park, B. J. (2009) Co-opetition and Technological Innovation in Small and Medium-Sized Enterprises: A Multilevel Conceptual Model. Journal of Small Business Management, 47(3), p. 308–330.

Gollo, S. S. (2006) Framework para Análise das Inovações e das Estratégias de Cooperação Competitiva – Coopetição: Estudo de Caso da Indicação de Procedência Vale dos Vinhedos – Serra Gaúcha/RS. XXX Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração – ANPAD – Set.

Gollo, S. S.; Castro, A. W. V. de. (2008) O processo de inovação e de estratégias de cooperação competitiva para a obtenção da indicação de procedência vale dos vinhedos: O caso da vinícola Boutique Lidio Carraro – Serra Gaúcha-RS. Congresso da Sociedade Brasileira de Economia, Administração e Sociologia Rural.

Gollo, S. S.; Setubal, J. B.; Cruz, C. M. L.; Winckler, N. C.; Rodrigues, R. G. (2008) O processo de inovação e de estratégias de cooperação competitiva para a obtenção da indicação de procedência Vale dos Vinhedos: O caso da vinícola Valduga/Serra Gaúcha/RS. Congresso da Sociedade Brasileira de Economia, Administração e Sociologia Rural.

Granovetter, M. (1985) Economic Action and Social Structure: The Problem of Embeddedness. The American Journal of Sociology, v. 91, n. 3, p. 481-510, 1985.

Gulati, R. Alliances and networks. Strategic Management Journal, v. 19, p. 293-317.

Gulati, R.; Nohria, N.; Zaheer, A. (2000) Strategic Networks. Strategic Management Journal, v. 21, p. 203-215.

Hamel, G. (1991) Competition for competence and Inter-Partner Learning within International Strategic Alliances. Strategic Management Journal, v. 12, p. 83-103.

Hamel, G; Doz, Y. L.; Prahalad, C. K. (jav/feb. 1989) Collaborate With Your Competitors and Win. Harvard Business Review, v. 72, n.4, p.133-139.

Jarillo, J. C. (1988) On strategic networks. Strategic Management Journal, v. 9, n. 1, p. 31-41.

Khanna, T; Gulati, R.; Nohria, N. (1998) The dynamics of learning alliances: competition, cooperation and relative cope. Strategic Management Journal, v.19, n.3.

Lado, A. A.; Boyd, N. G.; Hanlon, S. C. (1997) Competition, Cooperation, and the Search for Economic Rents: a syncretic model. Academy of Management Review, n.1, p.110-141.

Leão, D. A. F. de S. (2004) Coopetição: Tipologia e Impactos no Desempenho das Empresas da Indústria de Cachaça de Alambique do Estado de Minas Gerais. Universidade Federal de Pernambuco, Programa de Pós Graduação em Adminsitração. (Dissertação de Mestrado).

Leite, R. S.; Lopes, H. E. G.; Silva, S. A. D. (2009) A estratégia em relacionamentos coopetitivos: um estudo do arranjo produtivo de Nova Serrana. Revista Brasileira de Gestão de Negócios, v. 11, n. 30, p. 65-78.

Lin, C. P.; Wang, Y. J.; Tsai, Y. H.; Hsu, Y. F. (2010) Perceived job effectiveness in coopetition: A survey of virtual teams within business organizations. Computers in Human Behavior, v. 26, p. 1598–1606.

Lorange, P.; Ross, J. (1996) Alianças estratégicas: formação, implementação e evolução. São Paulo: Atlas.

Lubeck, R., M.; Wittmann, M., L.; Battistella, L., F.; Schendler, S., G. (2011) Coopetição: os fatores competitivos aplicados a redes de empresas de transporte público. V Encontro de Estudos em Estratégia, Porto Alegre-RS.

Luo, X. M. (2006) Cross-Functional Coopetition: The Simultaneous Role of Cooperation and Competition within Firms. Journal of Marketing, v. 70, n. 2.

Luo, Y. (2004) Toward coopetition within a multinational enterprise: a perspective from foreign subsidiaries. Journal of World Business, v. 40, p. 71–90.

Marchi, J., J.; Wittmann, M., L. (2008) Redes de Empresas: Uma análise das relações entre fatores sócio-comportamentais e desempenho competitivo. REAd, v. 14, n. 2.

Melo, D., B. de. (2009) Análise da Rede de Valor Voltada para os Negócios Internacionais: estudo de caso da empresa líder do setor de calçados do Ceará. Universidade de Fortaleza-UNIFOR, Fortaleza-CE. (Dissertação de Mestrado).

Melo, R. S de; Câmara, S. F.; Galindo, A. G.; Capelo Jr, E.; Rocha, C. A. S. R. (2008) Análise das Estratégias de Investimentos em P&D nas Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação à Luz da Teoria dos Jogos: o caso do Instituto Titan, em Fortaleza-CE. Anais do XXXII Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração - ANPAD – Set.

Mintzberg, H.; Ahlstrand, B.; Lampel, J. (2000) Safári de estratégia: um roteiro pela selva do planejamento estratégico. Trad. de Nivaldo Montingelli Jr. Porto Alegre: Bookman.

Morgan, R. M. (jul. 1994) The Commitment-Trust Theory of Relationship Marketing. Journal of Marketing, v. 58; p. 20-38.

Nalebuff, B. .J; Brandenburger, A. M. (1996) Co-opetição. Rocco: Rio de Janeiro.

Neves, M., P. S. das. (2009) Análise da Coopetição em Redes Horizontais de Pequenas e Médias Empresas do RS na Percepção dos Gestores das Redes. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre. (Dissertação de Mestrado).

Neves, M. P. S. das; Diehl, C. A.; Hansen, P. B.; Becjer, G. V. (jul/set. 2011) Análise do Processo de Coopetição em Redes Horizontais de Pequenas e Médias Empresas do Rio Grande do Sul. Revista de Administração e Contabilidade da Unisinos, v. 8, n. 3, p. 243-260.

Nohria, N. Eccler, R. G.(Orgs). (1992) Networks and organizations: structure, form and

action. Boston: Harvard Business School Press, Massachusetts, p. 1-22.

Oliveira, U., R. de; Marins, F. A. S.; Rocha, H, M. (out. 2006) Estratégia de coopetição versus competências essenciais e prioridades competitivas em gestão de operações: análise do consórcio modular da Volkswagen Caminhões e Ônibus do Brasil. XXVI ENEGEP - Fortaleza, CE, Brasil.

Pfeffer, J.; Salancik, G. (1978) The External Control of Organizations: A Resource Perspective. Harper & Row, New York.

Petter, R. R.; Vaz, C. R.; Resende, L. M. M. de; Francisco, A. C. de. (set. 2011) Coopetição Sistêmica de Redes Interorganizacionais: Um Modelo Estrutural. Congresso Internacional de Administração – Gestão Estratégica: Inovação Colaborativa e Competitividade.

Porter, M. E. (1989) Vantagem competitiva: criando e sustentando um desempenho superior. Rio de Janeiro: Campus.

Porter, M. E. (1990) The competitive advantage of nations. Harvard Business Review, mar-apr, p. 73-91.

Porter, M. E. (1999) Competição - On Competition: Estratégias Competitivas Essenciais. 16ª ed., 515 p. Elsevier: São Paulo.

Pritchard, A. (1969) Statistical Bibliography or Bibliometrics? Journal of Documentation, v. 25, n. 4, pp. 348-349.

Quintana-Garcia, C.; Benavides-Velasco, C. A. (2004) Cooperation, competition and innovative capability: a panel data of European dedicated biotechnology firms. Technoinovation, n. 20, p. 1-12.

Rennó, T., M.; Judice, V., M., M. (2008) Relações interorganizacionais em rede de franquias: cooperação, coexistência, competição, coopetição em uma rede de serviços educacionais em Belo Horizonte. Revista de Administração da FEAD-Minas, v. 5.

Rodrigues, L. C.; Maccari, E. A.; Riscarolli, V. (2007) Arquitetura e Coopetição em Redes Interorganizacionais. Revista de Gestão da Tecnologia e Sistemas de Informação, v. 4, n. 2, p. 175-196.

Sauaia, A. C.; Kallás, D. (2007) O Dilema Cooperaçăo-Competiçăo em Mercados Concorrenciais: o Conflito do Oligopólio Tratado em um Jogo de Empresas. Revista de Administração Contemporânea, 1ª Edição Especial, p. 77-101.

Schiavone, F.; Simoni, M. (2011) An experience-based view of co-opetition in R&D networks. European Journal of Innovation Management, v. 14, n. 2, p. 136-154.

Schoo, P. (2009) Co-opetition Enabling Security for Cooperative Networks: Authorizing Composition Agreement Negotiations between Ambient Networks. Wireless Pers Commun, v. 49, p. 415–430.

Seloti Jr, S. L. (2008) Sensemaking em alianças estratégicas: busca, interpretação e ação. Fundação Getúlio Vargas – Escola de Administração de Empresas, São Paulo. (Dissertação de Mestrado).

Tsai, W. (2002) Social structure of coopetition within a multiunit organization: coordination, competition, and intraorganizational knowledge sharing. Organizational Science, v. 13, n. 2, p. 179-190.

Uzzi, B. (1997) Social structure and competition in interfirm networks: the paradox of embeddedness. Administrative Science Quarterly, v. 4, p. 35-67.

Walley, K. (2007) An investigation of eco-opetition between South African firms. University of Stellenbosch Business School. 20th EDAMBA Summer Academy.

Williamson, O. E. (1985) The Economic Institutions of Capitalism. New York: The Free Press.

Winckler, N., C. (2010) A Coopetição entre propriedades rurais da cadeira produtiva do leite no Oeste Catarinense. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre. (Dissertação de Mestrado).

Winckler, N. C.; Brandão, F. S.; Machado, J. A. D. (2010) Tomada de Decisão e Rede de Valor: o Caso de uma Propriedade Rural Familiar no Oeste Catarinense. 48º Congresso SOBER – Sociedade Brasileira de Economia Administração e Sociologia Rural.

Winckler, N. C.; Molinari, G. T. (2011) Competição, Colaboração, Cooperação e Coopetição: Revendo os Conceitos em Estratégias Interorganizacionais. Revista ADMpg Gestão Estratégica, v. 4, n. 1.

Yadong, L. (2007) A coopetition perspective of global competition. Journal of World Business, v. 42, p. 129–144.

Yin, R. K. (2001) Estudo de caso: planejamento e métodos. 2ª ed. Porto Alegre: Bookman.

Zampese, E. R. de S.; Zilber, M. A. (2011) Estudo de Caso de Coopetição no Compartilhamento de Infra-Estrutura entre Operadoras de Telecomunicações no Brasil. SIMPOI, São Paulo-SP.

Zhang, J.; Frazier, G. V. (2011) Strategic alliance via co-opetition: Supply chain partnership with a competitor. Decision Support Systems, v. 51, p. 853–863.

Zineldin, M. (2004) Co-opetition: the organization of the future. Marketing Intelligence & Planning, v. 22, n. 7, p. 780-789.


Refbacks

  • There are currently no refbacks.




Iberoamerican Journal of Strategic Management  e-ISSN: 2176-0756

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional